Sante Antonio Basso e Emma Girolama de Nóbili


Sante Antonio Basso (Santino) e sua esposa Emma Girolama de Nóbili

O patriarca da Famíla Basso foi SANTE ANTONIO BASSO, que era conhecido e assinava SANTINO. Ele nasceu em San Donà di Piave, Província de Veneza, Itália, em 1º de setembro de 1.879 e faleceu em Lençóis, em 27 de setembro de 1.939. Era filho de Giacinto Basso e de Elisabeta Sartorelli; EMMA  GIROLAMA DE NÓBILI também nasceu em San Donà di Piave (Itália)  em 19 de janeiro de 1.884 e faleceu em Lençóis em 10 de dezembro de 1.942. Era filha de
Gerolimo De Nobili e de Angela Quintavalli. Eles se casaram em San Donà di Piave, em 25 de fevereiro de 1.905. Sante que era marceneiro/carpinteiro não veio para o Brasil pelo serviço de imigração. Segundo relatos de familiares ele viajou para o Brasil em duas oportunidades, sempre por conta própria. Na primeira vez ele permaneceu uma temporada em terras brasileiras e depois retornou à Itália para cumprir com o Serviço Militar e na Velha Bota casou-se com Emma e o casal gerou os filhos: Mário, Atilio, Bruno, Enzo, Italo, Maria Josephina  (Mariquinha), Irene, Rosa, Olga, Rita, Dirce. Giacinto, pai de Sante,  era filho único e  teve três filhos: Sante, Luis (pai de Guido Basso), que faleceu em 1.961, e Maria, que casou-se com Antonio Garini e foi fixar residência  em S.Paulo.  No Brasil, o casal Sante e Emma veio morar em São Manuel, onde nasceram os primeiros filhos Em S.Manuel  Sante – ou Santino -  trabalhava como carpinteiro/marceneiro, na instalação de madeiramento para telhados, entre outros trabalhos feitos com madeira. Mudaram-se para Lençóis Paulista por volta de 1.918/19 e foram morar na fazenda que posteriormente pertenceu ao sr. Ingvar Aagesen (conhecido como Osma). Ali Sante montou uma serraria,  e Posteriormente vieram para a cidade onde moraram, sucessivamente, em duas casas situadas na esquina das ruas 15 de novembro e 9 de julho. Nessa época Sante  montou uma serraria para a firma Zillo, Irmãos e Coneglian. Além da serraria, ele tinha uma oficina e construía móveis e instalava madeiramentos nos telhados das casas. Enzo Basso, o caçula dos filhos homens,  dizia que até hoje existe telhado feito por ele, aos fundos do atual Escritório Zillo. 
Sante e Emma tiveram 14 filhos, sendo que dois faleceram precocemente.
Sobreviveram 6 homens (que são os 6 irmãos da fábrica de cadeiras) e 6
mulheres.  Permanece viva apenas Olga, com 95 anos.

Os filhos são:- Luiz, Mário, Atilio, Bruno, Enzo, Italo, Maria Josephina  (Mariquinha), Irene, Rosa, Olga, Rita, Dirce. Os seis primeiros eram os 6 irmãos Basso, da Fábrica de Cadeiras.

Texto escrito pelo Promotor de Justiça ONILANDE BASSO


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela visita. Se lhe convier, comente esta notícia. Seremos sempre gratos, por isso.